O que Aconteceu com a Pregação do Arrependimento? by David Wilkerson

fim-dos-tempos-570x406
Palavra para 2014 e para os últimos dias!
janeiro 7, 2014
guerra
Guerreai as Guerras do Senhor – Charles Spurgeon
março 31, 2014
Mostrar Tudo

O que Aconteceu com a Pregação do Arrependimento? by David Wilkerson

pastor_david_wilkerson_2011

Em Nova York você pode visitar igreja após igreja, desde imensas catedrais até pequenas congregações, e raramente irá ouvir uma palavra sobre arrependimento. A mesma coisa ocorre em muitas igrejas evangélicas no resto do país e ao redor do mundo. Pode-se visitar igreja após igreja meses sem fim, e nunca se irá ouvir menção ao arrependimento.

Claro, existem igrejas hoje que não abrem mão quanto à essa importante doutrina bíblica. Mas diversas igrejas decidiram que arrependimento é uma mensagem ofensiva demais. Na verdade, denominações inteiras a desenfatizaram.

Nestas igrejas, você pode ouvir tudo sobre o amor de Deus, Suas bênçãos, Seus preceitos para enfrentar a vida, mas nenhuma palavra sobre a dor de Deus devido ao pecado. Você pode ouvir mensagens sobre amar os outros e ser uma pessoa boa e benigna. Tudo isso é verdadeiramente bíblico, mas você não vai ouvir uma mensagem de arrependimento como aquela que Pedro pregou no Pentecostes. O sermão de Pedro levou milhares para a liberdade em Cristo.

Muitos pastores hoje ficariam horrorizados com o que Pedro pregou naquele dia. Atos 2 nos dá o contexto para a poderosa mensagem do apóstolo: “E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: que faremos, irmãos?” (Atos 2:37).

Como esse verso demonstra, deve haver um conhecimento do pecado antes que possa haver arrependimento genuíno. É o propósito da lei, despertar um senso de pecado. E os corações daquelas pessoas em Jerusalém foram tocados quando ouviram a palavra de Deus e reconheceram seus pecados.

Pedro respondeu ao clamor desesperado daqueles homens instruindo-os, “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2:38, itálicos meus). O que significa se arrepender?

Arrependimento genuíno resulta em dor, remorso e desgosto pelo pecado
Arrepender-se é experimentar tamanha contrição a ponto de mudar um modo de vida. Simplificando, arrepender-se é mudar saindo do pecado, e caminhar na direção oposta.

Arrependimento não traz mérito. Somente o sacrifício de sangue de Cristo pode perdoar. Mas arrependimento é o único meio de conhecer cura e alegria verdadeiras. Não há outro modo de se entrar na paz e no descanso de Cristo, a menos que seja através das portas do arrependimento. Paulo escreve aos Coríntios sobre o fruto resultante do arrependimento:

“Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, o qual não traz pesar, mas a tristeza do mundo opera a morte. Pois vede quanto cuidado não produziu em vós isto mesmo, o serdes contristados segundo Deus! Sim, que defesa própria, que indignação, que temor, que saudades, que zelo, que vingança! Em tudo provastes estar inocentes neste negócio” (2 Corintios 7:10-11).

Deixe-me lhe dar o pano de fundo da carta de Paulo aos Corintios. Ele havia exposto pecado de incesto na congregação deles, porem ninguém lidou com o assunto. E por esse terrível pecado ter passado em branco, não havia remorso entre as pessoas.

Então Paulo escreveu à igreja uma mensagem ainda mais forte. Agora, quando as pessoas se sentaram e ouviram sua carta ser lida em voz alta à toda congregação, elas sentiram remorso no coração. E se arrependeram, cheias de pesar piedoso por não terem enfrentado o terrível pecado no meio deles. Aquele arrependimento trouxe grande alegria.

Agora Paulo os encoraja dizendo, “Viram o que o pesar piedoso fez por vocês? Moldou um cuidado em vocês. Trouxe indignação contra o seu próprio pecado”. Arrependimento é o único modo pelo qual cura e força podem vir aos pegos em pecado.

Arrependimento e confiança no sangue redentor de Cristo resultam em remissão total do pecado, e isso significa perdão, absolvição e libertação do poder do pecado. De acordo com Paulo não pode haver conversão, nem liberdade, nem o milagre do novo nascimento sem arrependimento: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor” (Atos 3:19).

Mais, Paulo pregou aos atenienses: “Mas Deus… manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam” (17:30). E Jesus nos diz que veio com esse mesmo propósito, “eu não vim chamar os justos, mas os pecadores (ao arrependimento)” (Marcos 2:17). Talvez mais claro que tudo, Lucas declara, “Assim está escrito que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressurgisse dentre os mortos, e que em seu nome se pregasse o arrependimento para remissão dos pecados, a todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24:46-47).

O pastor de uma mega igreja recentemente ganhou convencimento (da parte de Deus) sobre suas mensagens leves e suaves. Durante semanas ele se debateu, pensando, “Não sou um pastor de verdade. Não estou dando ao povo o que ele precisa para crescer e amadurecer em Cristo”.

Então ele mudou a pregação para incluir arrependimento. Na época, sua igreja era de milhares. Aí, uma vez tendo começado a pregar o arrependimento, ele acabou com menos de 200 pessoas. Mas ele está pleno e abençoado porque agora está vendo o seu povo crescer em Cristo.

Eu tenho que me perguntar: é por isso que tantos pastores nunca pregam o arrependimento? Eles estão com medo de perder pessoas? Eles temem não conseguir pagar a hipoteca? Eles estão muito atentos à necessidade de se ter pessoas para que a igreja assim tenha mais meios de pagar crescentes despesas? Estou convencido de que essas coisas combinadas persuadem grandes homens a pregarem uma mensagem suave.

Houve vezes em que imaginei como seria para as pessoas dessas igrejas do tipo “está tudo bem” ouvir uma mensagem de arrependimento vinda do pastor. Eu imagino multidões fazendo fila para ouvir o próximo sermão dele. No entanto, nos bastidores esse homem está sendo apertado pelo Espírito Santo, que diz com poderosa convicção:

“O dia do Senhor está próximo. A mão escreveu na parede, e Deus em breve irá julgar as nações. Tudo está sendo abalado, e os homens desmaiarão de medo.”

“Não saia para aquele púlpito agora para alisar o pecado das pessoas. Muitos deles estão doentes na alma e cegos, como ovelhas que se desviaram; enfrentam agitação interior, problemas familiares dolorosos, vícios, cativeiros com os quais o inimigo os atormenta.”

“Se você não alertá-los, o sangue deles estará em suas mãos. O profeta Ezequiel avisou que se você não tocar a trombeta alertando aos perversos, eles morrerão em suas iniqüidades e o Senhor vai cobrar o sangue deles de tuas mãos.”

“Agora vá, e alerte o povo para que se arrependa e abandone seus maus caminhos. Nunca mais sufoque o convencimento que vem de Mim, pois ele conduz à vida. Então – conforte-os e os encoraje.”

Se esse pastor obedecesse, ele imediatamente testemunharia duas coisas: um êxodo em massa de pessoas para a porta, e uma fração de pessoas sentadas perplexas em seus assentos. Após alguns minutos, o pregador começaria a ver lágrimas e choro. Finalmente, uma voz se levantaria dentre aqueles que permaneceram, e perguntaria, “O que faremos agora?”.

Isso já está começando a acontecer. Um dos maiores pregadores da prosperidade na Europa recentemente se levantou diante de enorme multidão e disse, “Chegou a hora de confessar, de chorar, e acertas as contas com Ele”. Um amigo meu, pastor, estava lá e contou que o evento foi impressionante. Minha oração é que o mesmo aconteça em todas as nossas igrejas, aqui no nosso país e ao redor do mundo.

Tenho que admitir que às vezes tenho deixado o púlpito com dor muito grande devido à uma mensagem dura que tive de pregar. Nessas ocasiões freqüentemente me pergunto: “Senhor, a mensagem pareceu tão dura. Eu Te ouvi direito? Se eu estava errado em pregar isso, por favor, me mostre”. Uma vez, quando eu estava em profunda agonia devido à uma mensagem, recebi ligação de um dos meus filhos, que disse, “Papai, obrigado por aquela mensagem. O Senhor falou claramente comigo através dela. Levou-me à uma crise com Ele que eu precisava enfrentar”.

Estou certo de que Deus se entristece com as igrejas que rejeitam Sua mensagem do arrependimento. Na verdade, creio que o Espírito Santo não habita tais igrejas.

( Trecho do Sermão de David Wilkerson 2007)

Os comentários estão encerrados.